Antonio Nóbrega em três apresentações no Sesc Bom Retiro

By Antonio Nóbrega | 18 setembro 2015 | Sem Comentários

14727944272_bb630e83f1_o

Neste fim de semana Antonio Nóbrega estará no Sesc Bom Retiro para três apresentações. Nos dias 18 e 19 ele presenteia o público com uma coleção de canções que marcam a sua trajetória artística. Acompanhado por um septeto, Nóbrega mostrará um cancioneiro repleto de baiões, maracatus, frevos, choros, entre outros gêneros.

No domingo o artista apresenta o espetáculo Um Recital Para Ariano – uma homenagem ao dramaturgo, poeta, romancista, ensaísta e um dos grandes pensadores da sociedade brasileira, Ariano Suassuna. A apresentação é composta por romances, poemas, martelos agalopados e toques instrumentais de alguma forma  marcados pela presença da Ariano em sua obra . A viagem musical passa pelos romances A Nau Catarineta, A Filha do Imperador do Brasil, pelas canções O Rei e o Palhaço e Canudos e pelas peças instrumentais Rasga e Ponteio Acutilado.

Na sexta-feira e no sábado os shows começam, respectivamente, às 20h e às 19h. Já no domingo, o espetáculo Um Recital para Ariano está marcado para às 18h.

SERVIÇO:

Show Antonio Nóbrega

Data e horário: sexta-feira, 18 setembro, 20h. Sábado, 19 de setembro 19h.

Local: Sesc Bom Retiro, Alameda Nothmann, 185 – Bom Retiro, São Paulo – SP, 01216-000, Brasil

Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudante), R$ 9,00 (carteirinha do Sesc)

Um Recital para Ariano

Data e horário: domingo, 20 de setembro, 18h

Local: Sesc Bom Retiro, Alameda Nothmann, 185 – Bom Retiro, São Paulo – SP, 01216-000, Brasil

Ingressos: R$ 30,00 (inteira), R$ 15,00 (estudante), R$ 9,00 (carteirinha do Sesc)





Reflexões sobre os desafios da atualidade

By Antonio Nóbrega | 26 agosto 2015 | Sem Comentários

Antonio Nóbrega grava depoimento para o projeto Inspira.mov Brasil – palestras que vão reunir representantes da cultura brasileira para discutir novos caminhos para a vida em sociedade.

14194145323_e0fe949084_o

Antonio Nóbrega participa nesta quinta-feira da série de encontros Inspira.mov Brasil, que vai discutir novas ideias, reflexões e ações como respostas frente aos desafios da sociedade atual. O projeto é inspirado nos TED Talks, palestras sobre temas variados que viraram febre na internet.  Cada depoimento concedido vai virar um episódio de uma serie a ser exibida pela TV Cultura.

Entre os convidados estão, além de Nóbrega, outras doze personalidades representativas da cultura e da sociedade brasileiras. São eles: a cantora, compositora e rapper Negra Li, os artistas plásticos Elifas Andreato e Eduardo Srur, a filósofa Viviane Mosé, o empreendedor social Rodrigo Baggio, a mestre-cervejeira Cilene Saorin, os jornalistas Paulo Lima e Mauro Beting, o radialista Edgard Piccoli, o ativista social Eduardo Lyra, o empresário da noite Facundo Guerra e a especialista em economia criativa Lala Deheinzelin.

O encontro será gravado no Teatro Franco Zampari, Avenida Tiradentes, 451 (ao lado da estação Tiradentes do Metrô) Os interessados em assistir as gravações devem enviar e-mail para: gravacao.inspirabrasil@gmail.com. A entrada é franca.





Espetáculo PAI terá duas apresentações no Sesc Pinheiros

By Antonio Nóbrega | 27 julho 2015 | Sem Comentários

 

Foto: Silvia Machado

Foto: Silvia Machado

A Cia Antonio Nóbrega de Dança segue com as apresentações de seu mais novo espetáculo PAI. Após emocionar a plateia do Festival O Boticário na Dança e passar pelo Sesc Santos na Virada Cultural Paulista, o grupo se apresenta agora no Sesc Pinheiros nos dias 08 e 09 de agosto. PAI é resultado da busca de Nóbrega pela união da dança popular com as técnicas mais formais dessas arte.

“Eu tenho muito essa preocupação de sistematização de uma linguagem brasileira de dança a partir das matrizes populares, do mundo matricial popular. O que quer dizer, basicamente, do mundo materno da cultura brasileira. Dessa vez, além de tentar avançar nesse campo, eu quis trazer um tema, uma reflexão. E a minha reflexão é: onde é que o arquétipo do masculino se presentifica no mundo da dança brasileira? Eu procuro extrapolar essa questão, ainda, no sentindo seguinte: onde é que o arquétipo do pai está presente na cultura e na civilização brasileiras?”, afirma Nóbrega.

Além das apresentações, o artista vai conceder uma aula-espetáculo de introdução à dança brasileira. O encontro acontecerá no dia 12 de agosto, às 16h30, com entrada franca. Em atividades teóricas e práticas, o artista falará sobre a dança contemporânea resultante do encontro entre matrizes e procedimentos corporais – presentes nas manifestações populares –  e o universo técnico  da tradição ocidental de dança.

SERVIÇO:

Cia Antonio Nóbrega de dança apresenta PAI

Onde: Sesc Pinheiros

Datas e horário: 08 e 09 de agosto. Sábado 21h, domingo 18h

Ingressos: R$ 12,00 para comerciários, R$ 20,00 meia entrada e R$ 40,00 a inteira.

 





Show de Antonio Nóbrega na Virada Cultural

By Antonio Nóbrega | 18 junho 2015 | Sem Comentários

Artista se apresenta no palco República às 8h de domingo, 21/06

14334615301_b8bac450bb_o

O músico, compositor e dançarino Antonio Nóbrega participa da Virada Cultural 2015 com seu espetáculo Lua, que explora o legado artístico de Luiz Gonzaga.

O show acontece a partir das 8h deste domingo, dia 21/06 no Palco República. Acompanhado por versáteis músicos, Nóbrega apresenta releituras de músicas instrumentais, de canções pouco conhecidas e de clássicos gonzagueanos, como “Acauã”, “Que nem Jiló”, “Siri Jogando Bola”, “Baião”, “Juazeiro” e “Asa Branca”.

O Rei do Baião é homenageado não apenas como grande compositor e intérprete nordestino — desbravador e divulgador de inúmeros ritmos e gêneros musicais, como xote, xaxado, chamego e, sobretudo, baião – mas principalmente como um dos músicos fundadores da música brasileira de todos os tempos.

As músicas de Luiz Gonzaga receberam originais e modernos arranjos criados por Edmilson Capelupi , Edson Alves e José A. Sobrinho.

Toda a programação da Virada Cultural é gratuita. Clique aqui para mais informações

 

SERVIÇO:

Antonio Nóbrega apresenta Lua – show em homenagem a Luiz Gonzaga

Quando: Domingo 21 de junho, às 08h da manhã

Onde: Palco República da Virada Cultural – Praça da República.

Entrada franca





Sesc Santos recebe apresentação do espetáculo PAI

By Antonio Nóbrega | 25 maio 2015 | Sem Comentários

IMG_2536

A segunda apresentação de PAI – novo espetáculo da Companhia Antonio Nóbrega de Dança – acontece neste domingo, 31 de maio no Sesc Santos, como parte da Virada Cultural Paulista. O público vai ter a oportunidade de acompanhar o aprofundamento da pesquisa de Nóbrega em torno da dança brasileira contemporânea – resultante do diálogo criativo entre o imaginário corporal popular  e o universo de procedimentos e princípios técnicos desenvolvidos pela dança ocidental.

O espetáculo traz à tona a presença do lúdico e a ausência do arquétipo paterno na arte e cultura brasileiras. Nóbrega explica a reflexão proposta:  “Eu tenho muito essa preocupação de sistematizaçao de uma linguagem brasileira de dança a partir das matrizes populares, do mundo matricial popular. O que quer dizer, basicamente, do mundo materno da cultura brasileira. Dessa vez eu, além de tentar avançar nesse campo, quis trazer um tema, uma reflexão. E a minha reflexão é: onde é que o arquétipo do masculino se presentifica no mundo da dança brasileira? Eu procuro extrapolar essa questão, ainda, no sentindo seguinte: onde é que o arquétipo do pai está presente na cultura e na civilização brasileiras?”

A música de PAI, que teve sua estreia no dia 05, no festival O Boticário na Dança,  é uma criação conjunta de Nóbrega com os jovens compositores e músicos Leo Gorosito e Rafael Alberto. A coreografia também foi criada coletivamente por Nóbrega, sua assistente Letícia Doretto e os demais bailarinos da companhia. A Iluminação é de Marisa Bentivegna e os figurinos de Eveline Borges. A direção é do próprio artista, que estará no palco ao lado dos  sete bailarinos que integram a companhia.

Serviço:

Cia Antonio Nóbrega de Dança apresenta PAI

Onde: Sesc Santos (como chegar)

Quando: Domingo, 31 de maio, às 18h

Entrada franca – Retirada de ingressos no dia do espetáculo, a partir das 10h, na Central de Atendimento. Limitado a 02 unidades/pessoa

Informações





Antonio Nóbrega em homenagem a Luiz Gonzaga

By Antonio Nóbrega | 7 maio 2015 | Sem Comentários

14334602921_993eb3834d_oO legado artístico de Luiz Gonzaga é celebrado no espetáculo Lua, de Antonio Nóbrega. Nos dias 16 e 17 de maio ele se apresenta no Sesc Santana acompanhado por sete músicos.  Quem for assistir vai ter a oportunidade de conferir  releituras de obras instrumentais, canções pouco conhecidas e clássicos do rei do baião. Na lista estão “Acauã”, “Que nem Jiló”, “Siri Jogando Bola”, “Baião”, “Juazeiro” e “Asa Branca”.

Nóbrega relembra Luiz Gonzaga não apenas como grande compositor e intérprete nordestino — desbravador e divulgador de inúmeros ritmos e gêneros musicais, como xote, xaxado, chamego e, sobretudo, baião – mas principalmente como um dos fundadores da música brasileira de todos os tempos.

O espetáculo Lua foi criado em 2012 especialmente para celebrar o centenário de nascimento de Luiz Gonzaga.

 

Serviço

Antonio Nóbrega apresenta Lua – Tributo a Luiz Gonzaga

Sesc Santana

Avenida Luiz Dumont Villares, 579, Santana SAO PAULO – Como Chegar

Sábado, 16/05, às 21h e Domingo 17/05 às 18h

Ingressos: R$ 30 (inteira); R$ 15 (meia-entrada); R$ 9 (comerciário)

Venda online a partir de 05/05/2015, às 18h; venda nas unidades a partir de 06/05/2015, às 17h30

Classificação indicativa: Livre

Duração: 80 minutos





A água e a boca do vulcão

By Antonio Nóbrega | 5 fevereiro 2015 | Sem Comentários

FullSizeRender

Abri a porta do box para tomar banho e me pus de pé dentro de uma bacia colocada bem embaixo do chuveiro. Abri a torneira e à medida que a água começou a me molhar fui logo xampuando os cabelos. Fechei o chuveiro e ensaboei-me todo. Abri novamente a torneira e enquanto a água escorria pelo corpo e cabeleira (…) retirando a espuma, aproveitei ainda para sabonetar o rosto…

Quando terminei toda a operação vi que a água acumulada na bacia já dava pelo começo da canela e que supriria por duas ou três vezes a demanda de água para usar na privada.

E fui me enxugando pensando-perguntando: se fôssemos educados  dentro dessa atitude desde o dia em que tomamos banho pela primeira vez, se aprendêssemos desde muito cedo que os “dons” da natureza não são  infinitos e que nascemos para viver gregariamente, não nos pouparíamos, nós a nós mesmos, do vexame que passaremos em breve, ainda nós, os moradores da cafeinada  cidade de São Paulo?

Tenho para mim que o caso da água é só mais um sinal de alerta sobre quão perdulária é a nossa maneira de conviver com natureza. Não creio que estejamos usando da melhor maneira possível os recursos de nossa inteligência, pois, ao que parece, inflacionamos desmesuradamente a nossa porção cerebral impulsionadora de atitudes e atos inconsequentes, excessivamente individualistas, estúpidos. No caso da água, é bem verdade que o nosso governador não deveria ter sido tão omisso e incivil.  Desmereceu a sua função de guardião do estado e da sua gente. Mas não creio que seja unicamente pela via política que a questão pode ser resolvida.

A questão em jogo é muito maior. É um problema de natureza também conjuntural. Um problema do sistema-mundo em que vivemos. Estamos nos educando muito insatisfatoriamente para o exercício da vida em comum! A educação tal como é modernamente concebida não parece querer levar em conta certos aspectos. Falta-nos dar um sentido maior e integral  à palavra educação. Caminhamos bem no quesito educação formal. De uma forma ou de outra – aqui, acolá – ela tem prosperado: aprendemos matemática, geografia, tocar um instrumento musical, a nadar, a passar no vestibular, etc. Mas…

Estou pensando numa educação que, embora converse com essa, a ultrapasse, a transcenda.  Estou pensando numa educação cultural, humanística mesmo, aquela que leve em conta valores, visão de mundo, sentimento gregário, planetização, etc., aquela que nos ajude a ampliar, abrir as nossas consciências face aos problemas que, não nos iludamos, se não soubermos tratar, nos levarão à ruína… Estou pensando numa educação que nos faça compreender que somos todos parceiros de uma mesma jornada planetária e que se não nos irmanarmos nessa jornada única – tão bela quanto árdua – estaremos fadados a sermos puxados, irremediavelmente sem retorno e remissão, para dentro da boca do vulcão…Pois estamos ao seu redor…

O mundo tal como o conhecemos está desmoronando. Que mundo queremos e podemos (re)construir? Que outra escala de valores teremos de assentar nessa diferente Escola-mundo que almejamos? Que novos exercícios de humanidade teremos de nos impor?

Eram essas as questões que me invadiam enquanto tomava meu banho matinal com menos de um quinto da água que habitualmente utilizava…

 





Um recital para Ariano

By Antonio Nóbrega | 12 janeiro 2015 | Sem Comentários

Já lá se vão mais de quarenta anos desde o momento em que Ariano convidou-me para integrar o Quinteto Armorial. Dessa ocasião até praticamente a sua morte, além da boa convivência e amizade que sempre cuidamos em manter, estabelecemos também um vínculo artístico que se materializou em algumas peças musicais.Essas músicas foram tanto diretamente referenciadas em suas obras literárias – particularmente na Pedra do Reino – quanto, de modo indireto, inspiradas nas prazeirosas conversas que tivemos ao longo dos anos. Não é por outra razão que a apresentação que farei no próximo dia 17 de janeiro, às 20h, no Theatro Municipal de São Paulo, como parte do projeto “Ariano Suassuna – Arte como Missão”  também se constitui  numa espécie de recital sentimental.

Um  recital composto de romances, poemas, martelos agalopados, excelências, toques instrumentais marcados  pelo visão de um homem do sertão. Ou melhor, pelo espírito de um homem que, juntamente com Euclides da Cunha e Guimarães Rosa, transfigurou uma região seca, áspera e pobre no “mundo mágico, onírico e redentor do Sertão”.Essa viagem musical vai passar pelos romances A Nau Catarineta, A Filha do Imperador do Brasil, A Morte do touro Mão de Pau, pelas canções O Rei e o Palhaço e Canudos, pelas peças instrumentais Rasga e Ponteio Acutilado, entre outras. Tais obras – presentes  nos meus Cds e Dvds – serão entremeadas por falas e pequenos relatos que marcam de alguma  maneira, a minha visão do Cavaleiro da Alegre Figura Ariano Suassuna.

Para esse recital estarei acompanhado por um  quinteto formado por Swuami Jr. nos violões, Filipe Maróstica no baixo, Léo Rodrigues na Percussão,  Olivinho no Acordeom e Zezinho Pitoco no clarinete, sax e zabumba.

Uma maneira emotiva de abrir artisticamente, para mim, o ano de 2015.

Theatro Municipal de São Paulo

Espetáculo musical com Antonio Nóbrega

17 de janeiro às 20h

Retirada de ingressos na bilheteria a partir das 18h

Valor do ingresso R$ 1

Duração – 1h45

Classificação 12 anos

Praça Ramos de Azevedo s/n – centro

Adicione na sua agenda Google.

 

 

 





A água e o consumo

By Antonio Nóbrega | 29 agosto 2014 | Sem Comentários

imagemaguaLi ainda há pouco na Folha de São Paulo que as regiões onde residem os paulistanos mais abastados são aquelas cujos índices de economia de água são as mais baixas. Se pensarmos que quem mora nessas regiões (eu sou um deles) são aqueles que  majoritariamente tiveram acesso à a boa escolarização, leem jornais e revistas,  são assinantes de televiumsão a cabo, estão ligados à internet continuamente, isso  parece ser um contrassenso. E é, realmente. Na busca da razão desse contrassenso o jornal não avançou. Aqui faço a pergunta: por que isso ocorre? A minha tentativa de resposta é a de que quanto mais dependemos do conforto, mais dificuldade temos em dele nos desapartar. Mais dele nos tornamos escravos. Ter água em fartura para lavar o carro ou o jardim, deixar a água caindo da torneira enquanto esquenta para fazermos a barba, não fechar o registro enquanto ensaboamos o corpo e tantos e tantos outros pequenos hábitos de conforto nos tornam cada vez mais dependentes de nossas fraquezas.

Num planeta finito, ou pelo menos com uma boa dose de finitude, não dá para vivermos a nosso bel prazer como se de alguma maneira as coisas fossem se arranjar por si mesmas, se autorregularem. Não irão. Se não conseguirmos nos educar para compartilhar, dividir e nos solidarizar uns com os outros nas pequenas e grandes causas, ficaremos cada vez mais dependentes dos nossos ferozes demônios interiores, cada vez mais sem forças para enfrentar os grandes desafios que parecem se desenhar no horizonte.  Eduquemo-nos!





Brincante ameaçado por especulação imobiliária

By Antonio Nóbrega | 15 julho 2014 | Sem Comentários

fachada_antiga2

1992: Nóbrega e a atriz e dançarina Rosane Almeida no ano de fundação

 

O Instituto Brincante, local de cursos, apresentação de espetáculos e centro de estudos e pesquisas da arte e cultura brasileira que há 22 anos ocupa um espaço de 800 m2 na Vila Madalena, segue com a manutenção de suas atividades ameaçada. Seus fundadores — o músico, dançarino e pesquisador Antonio Nóbrega e sua mulher, a atriz e dançarina Rosane Almeida — receberam em 20 de maio uma notificação pedindo a desocupação do imóvel em 30 dias, a contar daquela data, sob pena de ajuizamento de ação de despejo. A informação é a de que o terreno estaria vendido para uma incorporadora.

O casal, que desde então tenta judicialmente permanecer no local, obteve uma importante conquista: no dia 30/09, o Instituto Brincante foi considerado patrimônio imaterial pelo Conpresp, o órgão municipal de preservação do patrimônio histórico, cultural e ambiental. As atividades seguem normalmente enquanto não há decisão judicial definitiva sobre o imóvel. 

A publicação da notícia no portal Catraca Livre, ainda no dia 8 de julho, provocou grande repercussão entre professores, alunos, parceiros e admiradores do Brincante, que logo saíram em defesa da manutenção do espaço cultural no local pelas redes sociais (com a hashtag #ficabrincante). Rapidamente, começaram a surgir ações no sentido de chamar a atenção para o caso e mobilizar a maior quantidade de pessoas. Desde alunos que criaram uma página no Facebook (https://www.facebook.com/ficabrincante), passando por fotos de apoiadores Brasil afora com a menssagem #ficabrincante ao show #ficabrincante no Parque do Ibirapuera, no dia 03/08, quando se formou uma ciranda de 10 mil pessoas.

O Instituto Alana, por exemplo, produziu vídeos que têm auxiliado na mobilização, como um em que Rosane questiona qual o lugar da cultura na cidade? (em meio a especulação imobiliária e o seu poder econômico). Tanto Rosane como Nóbrega têm se manifestado e pedido apoio por meio de suas contas no Facebook e da página do Brincante na rede social.

 

Sobre a disputa imobiliária

A advogada Renata Maluf, que representa o Brincante, explica que o proprietário do imóvel não cumpriu com a obrigação legal de garantir o direito de preferência de venda para o centro cultural. “A relação entre as partes é de mais de 20 anos e nunca houve contratos sucessivos com prazos estipulados. Mas o fato de a locação estar vigorando por prazo indeterminado não afasta o direito de preferência do inquilino”, diz.

Segundo ela, não cabe qualquer distribuição de ação de despejo, como ameaçou a notificação recebida pelo Brincante, uma vez que o locador não ofertou o imóvel para os locatários. Até porque, em outras ocasiões, o casal de artistas já havia manifestado ao proprietário seu interesse em fazer uma proposta para adquirir o bem.

 

Números do Brincante

Localizado na Rua Purpurina, 428, na Vila Madalena, zona oeste de São Paulo, o Brincante foi fundado pelo casal de artistas Antonio Nóbrega e Rosane Almeida em 22 de novembro de 1992. Tornou-se Ponto de Cultura em 2004 e adquiriu o status de instituto em 2 de março de 2001. Ao longo de mais de duas décadas, acumula números expressivos no trabalho de promoção da cultura brasileira. Confira*:

– Atendeu diretamente mais de 20 mil alunos
– Reuniu um público de mais de 57 mil pessoas
– Realizou mais de 70 espetáculos
– Realizou 5 festivais (Encontro com a Dança e a Música Brasileiras, Sete anos a caminho dos 500, Festejando Câmara Cascudo
– Na passagem de seu nascimento, Ao Gosto das Artes, 1º Festival de Brincantes, Festival Brincante 20 anos) e 8 sambadas
– Atendeu mais de 30 instituições (por meio de cursos, oficinas, palestras e espetáculos)
– Formou 2,2 mil educadores
– O Brincante Itinerante (fundado em 2011) atendeu mais de 3 mil pessoas

* Dados até o primeiro semestre de 2014




Assessoria de Imprensa:

Nara Lacerda
nara.lacerda@agenciafervo.com.br    
m. +55 11 9 9643 3432

Priscila Cotta
priscila.cotta@agenciafervo.com.br
m. +55 11 97028.2187

www.fb.com/coletivofervo
www.agenciafervo.com.br

FACEBOOK

FLICKR

IMPRENSA